menu
São Paulo - SP | Whatsapp:
Evandro Jr.
São Paulo - SP
SAÚDE
SAÚDE
SAÚDE
SAÚDE
Postada em 23/07/2016 ás 20h19 - atualizada em 23/07/2016 ás 20h19
Pode ter sido encontrado o caminho para reverter a menopausa
Equipa de investigação de uma clínica na Grécia desenvolveu experiências com mulheres de até 49 anos e acredita ter reativado a menstruação

Menopausa



Uma investigação levada a cabo por uma equipa de especialistas na Grécia, afirma ter conseguido fazer com que os ovários de mulheres que já tinham parado de menstruar voltassem a produzir óvulos, levando à reversão da menopausa.



Em entrevista à revista especializada New Scientist, o ginecologista Konstatinos Stakianoudis, responsável pela investigação, revelou que a equipa concentrou-se em mulheres que tiveram menopausa precoce e que desejavam voltar a menstruar para poderem ter filhos.



A equipa grega usou a terapia PRP (Plasma Rico em Plaquetas), que consiste na retirada e centrifugação de sangue da paciente, num processo que leva ao isolamento das moléculas que desencadeiam o crescimento de tecidos e vasos sanguíneos. Uma técnica muito usada para acelerar a cura de ossos fraturados e músculos lesionados, que agora poderá também ajudar no rejuvenescimento dos ovários.



Se os resultados da pesquisa grega forem confirmados, a técnica poderá ser usada para aumentar a fertilidade em mulheres mais velhas, ajudar pacientes com menopausa precoce a ficarem grávidas e atuar no combate aos efeitos da menopausa.




Isso oferece uma janela de esperança para mulheres na menopausa que serão capazes de engravidar usando o seu próprio material genético", afirmou Sfakianoudis à New Scientist.




O cientista contou ainda a história de uma paciente, de 40 anos, que se submeteu aos testes de experimentação depois ter entrado precocemente na menopausa. 



Cinco anos depois de ter início aquele período fisiológico, a equipa injetou PRP nos ovários da paciente, fazendo reativar a menstruação após um período de seis meses. Depois do regresso da menstruação, a clínica procedeu à colheita de três óvulos e dois deles foram fertilizados com sucesso, usando espermatozóides do marido da paciente.



Os resultados foram então apresentados na reunião anual da Sociedade Europeia de Reprodução Humana e Embriologia, em Helsínquia, na Finlândia.



No entanto, apesar de dois terços das mulheres, entre 39 e os 49 anos, terem visto a sua menstruação regressar depois de se submeterem ao PRT, os médicos ainda não têm certeza como a técnica funciona ou como esse plasma pode desencadear a menstruação.




"Parece funcionar em cerca de dois terços dos casos. Observamos mudanças em padrões bioquímicos, uma restauração da menstruação”, disse o médico à New Scientist“Precisamos de estudos maiores antes de sabermos com certeza qual a eficácia do tratamento".



 




Terapia questionada pela comunidade científica



Apesar de ser uma técnica inovadora e que pode ser benéfica para as mulheres, alguns especialistas já questionaram os métodos usados pela clínica grega e consideram que o grupo deveria ter feito um primeiro teste da técnica em animais.




Essa experiência não teria sido permitida na Grã-Bretanha. Os investigadores precisam de trabalhar mais para ter certeza de que os óvulos resultantes [da terapia] são bons", afirmou à New Scientist, Roger Sturmey, da Faculdade de Medicina Hull York.




Virginia Bolton, embriologista no Hospital Guy's and St Thomas', em Londres, afirmou também à New Scientistter dúvidas sobre a eficácia do tratamento.




É perigoso ficarmos animados com algo antes de termos provas suficientes de que funciona."



leia também
Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade
mais lidas do mês
Enquete
Qual sistema operacional para Smartphone você mais gosta?

android
113 votos - 46.5%

ios (iphone)
100 votos - 41.2%

windons
30 votos - 12.3%

facebook
twitter
© Copyright 2017 :: Todos os direitos reservados